COMO FAZER UMA MUDANÇA SEM ENLOUQUECER

by - terça-feira, abril 26, 2016

Foto Pesquisa Google
Quando pensamos em mudanças pensamos em… loucura! Mas não tem de ser assim, até porque “mudar” pode ser positivo, desde que seja para algo melhor ou signifique novos e brilhantes desafios para a vida. Como é que se pode fazer uma mudança sem enlouquecer? Acho que eu e mais umas quantas pessoas gostavam de ter resposta a esta questão, sobretudo quem vive na cidade e não tem propriamente amigos “aos potes” com carrinhas de transporte que possam emprestar. Vivi três anos em Lisboa e durante esses três anos fiz cinco mudanças, sem contar com a última que foi cá para Chaves. Cada vez tinha mais coisas para transportar. Acreditem que conheço muito bem o drama das mudanças de casa... Por isso, reuni umas quantas dicas step by step para ajudar na tarefa de empacotar, encontrar empresas de transporte de móveis em Lisboa e sobreviver a uma mudança na capital. 



Step #1: Por conta própria ou com ajuda profissional?

Foto Pesquisa Google
Planear é essencial para rentabilizar o nosso tempo, bem como tomar decisões importantes, como contratar ou não uma empresa de transportes de móveis. Em relação a isto eu diria… definitivamente sim! O que não quer dizer que transportem TUDO através da empresa, pois provavelmente terão capacidade para levar algumas coisas mais fáceis e pessoais, como roupas, livros, eletrodomésticos, etc., poupando uma viagem extra ou evitando a contratação de um veículo maior, o que torna tudo mais económico.

Por isso, uma solução 2 em 1 parece ser o caminho certo: uma parte da mudança por conta própria e outra parte através de uma empresa profissional. Sim, porque transportar móveis grandes, sofás, espelhos, etc. só vai dar dores de cabeça, uma valente dor de costas e a incerteza de que conseguiremos que tudo chegue são e salvo ao outro lado!


Step #2: Escolher a empresa transportadora

Foto Pesquisa Google
Nem todas as empresas de mudanças e transporte de móveis em Lisboa são idóneas, por isso há que ter grande atenção quando fazemos a nossa escolha.

Em primeiro lugar, é importante ter referências de trabalhos anteriores, pesquisando informação através do maior número de fontes possível: amigos, família, conhecidos, vizinhos, etc. e – claro – a Internet, onde podem pesquisar em diretórios especializados, ver comentários em redes sociais, etc. Atentem também à relação preço-qualidade e, quando já tiverem uma lista de nomes ou alguma preferência, verifiquem se a empresa é especializada em mudanças, e licenciada com alvará para fazer o transporte de móveis em Lisboa. É que existem algumas “empresas” muito pouco profissionais que só nos trazem prejuízo.

Não esquecer também de ver se a empresa tem seguros para cobrir eventuais danos ou roubo dos bens e exigir sempre um orçamento por escrito e um contrato de prestação de serviços.


Step #3: Definir o que vamos levar e o que vamos deixar para trás

O ideal é começar o trabalho de empacotamento com bastante antecedência. Seis meses é o ideal, apesar de depender muito do que temos em casa.

Importante é selecionar o que vamos levar e aproveitarmos para nos livrarmos da “tralha” que não usamos há meses. Sim, porque se encontrarmos coisas que nem sequer já nos lembrávamos que existiam é porque não nos fazem falta. O melhor é doar, vender ou, se for caso disso, deitar no lixo!


Step #4: Definir o que levar primeiro 

Foto Pesquisa Google
Após a seleção de tudo o que vamos querer levar, o passo seguinte é definir quais os itens que serão transportados primeiro e os que ficam para trás, pois será necessário continuarmos a viver o nosso dia-a-dia.

Assim, comecem a empacotar os itens que raramente são utilizados – como objetos de decoração, livros, quadros, etc. - depois o que usam às vezes e, por último, o que utilizam com muita frequência, como os utensílios de cozinha, toalhas de banho, etc.


Step #5: Comprar e preparar o material

Tendo em mente o que querem transportar, há que comprar ou adquirir caixas de acordo com os vossos pertences. Atenção que “roupa” é muito genérico, é preciso saber que tipo de roupa têm para decidirem quais as caixas adequadas. Por exemplo, as camisas devem ir em caixas baixas e compridas para não se amarrotarem tanto. Já os itens pesados, como os livros, devem ir em caixas mais pequenas, pois se encherem uma caixa grande ela não vai aguentar e vai acabar por ceder. Coisas leves, como roupa de cama ou edredons, já podem ir embalagens maiores ou até em sacos de plástico. E por aí em diante.

Tenham cuidado com as caixas já usadas, procurem as que estiverem em melhores condições. Convém também reforçá-las por baixo com três layers de fita-cola/adesiva, para garantir que não se abrem a meio do processo.

Vejam se têm tudo o que precisam: caixotes de cartão, fita adesiva, plástico de bolhas (que eu pessoalmente adoro rebentar!), etiquetas e papel de jornal para embrulhar louça, vidro, cerâmica, porcelana.


Step #6: Organizar o material e nomear as caixas

Foto Pesquisa Google
O passo seguinte é organizar e nomear as caixas com todo o cuidado e detalhadamente de acordo com o conteúdo e também a divisão da nova casa para onde estão destinadas. Exemplo: “livros para o escritório”, “roupas do Manel”, “édredons quarto”, etc. Até podem associar uma cor a cada compartimento, de modo a perceberem mais facilmente o que têm em cada caixa. Na altura de desempacotar vão agradecer-me pelo tempo e o esforço que vão economizar!


Step #7: Empacotar

Comecem a embalar uma divisão de cada vez, para não virarem a casa do avesso e sentirem as coisas mais organizadas.
Durante as mudanças não façam compras de supermercado muito grandes para não terem de as transportar também. Imaginem que estão de férias algumas semanas e comprem apenas o suficiente para esse tempo.

Atenção que há empresas de transportes em Lisboa que têm também o serviço de empacotamento, o que pode ser útil para as coisas mais volumosas e difíceis, móveis que precisam de ser desmontados, etc. 


Step #8: Desempacotar

Foto Pesquisa Google
Depois de terem tudo no novo endereço, estabeleçam uma meta para desempacotar. É importante definir uma data limite para não deixarem para trás algumas caixas meses a fio.

O primeiro local a organizar é a cozinha, da qual toda a gente precisa, e para último devem deixar divisões menos usadas – como o escritório – ou arrumações menos necessárias, como as loiça que têm para receber as visitas.


Step #9: Não esqueçam questões burocráticas

Não esqueçam de fazer as transferências de serviços de água, luz, telefone, televisão, Internet, etc. com antecedência (pelo menos 2 semanas) para que possam ter tudo a funcionar quando começarem a viver na nova casa.


Publicação feita em colaboração com Zaask.


You May Also Like

5 comentários

  1. Olá querida,
    Gostei muito do teu post.
    Segui o teu blog, podes passar pelo meu?
    www.umachavenadeamor.blogspot.pt
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Tenho um bocado de pavor a mudanças, sou sincera.
    Xoxo
    http://myheartaintabrain.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também tenho, aliás não gosto nadinha hehe.
      Beijinhos 😘❤
      www.umachavenadeamor.blogspot.pt

      Eliminar
  3. Adorei suas dicas! Faz 8 meses que me mudei e quase fiquei doida hehehe
    Daqui há alguns anos terei que mudar de novo e já fico pensando no trabalho hehe
    Beijos
    BlogCarolNM
    FanPage

    ResponderEliminar
  4. É loucura mesmo!! Todas as dicas são bem vindas numa altura de mudanças :)
    Bj S

    ResponderEliminar

Muito obrigada pela tua visita ❤
Todos os comentários são retribuídos nos respectivos blogues.

Se preferires, podes enviar-me um e-mail para:
thefashionjukebox.ch@gmail.com